Esse tipo de tecnologia traz rapidez ao trabalho e uma solução para moradias baratas

Em constante avanço, a tecnologia da impressão 3D chegou ao meio da construção civil e mostrou que veio para ficar. Os exemplos disso são a implementação da técnica na criação de bairros feitos todos a partir de uma impressora e os projetos de criação de casas baratas em países em desenvolvimento. Além de também já está no plano de uma cidade ter um quarto das construções até 2025 sendo feitas a partir da impressão 3d.

Com isso, separamos quatro países que têm investido nessa área. Continue o texto e veja quais são.

Emirados Árabes + construção civil

No início do mês de setembro, o governo de Dubai, principal cidade dos Emirados Árabes, junto com a Alteza o Xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, o vice-presidente e o primeiro-ministro do país lançaram o projeto “3D Printing Strategy”. A ideia é de que até 2025 um quarto de todas as novas construções da cidade seja feitas em impressoras 3D.

Essa estratégia foi utilizada visando reduzir custos nos setores de saúde e construção para reestruturar a economia e o mercado de trabalho. Isso porque a utilização da impressora aperfeiçoa os trabalhos e costuma ser mais econômica.

A organização “Dubai Future Foundation”, criada para gerenciar projetos tecnológicos de melhorias para cidade, apresentou recentemente o plano de redução de mão-de-obra em 70% e dos custos gerais em 90% com impressão 3D. Dessa forma, a implementação das impressoras 3d irá otimizar o trabalho, pois, elas gastam apenas 10% do tempo gasto em técnicas tradicionais.

Vale lembrar que Dubai é pioneira no assunto, isso porque lá em meados de 2015 foi anunciado que ela seria a primeira cidade do mundo a ter uma estrutura impressa em 3D. Esse projeto chamado de “Escritório do Futuro” foi criado em 17 dias e iniciou ali a corrida do país em avançar na impressão 3d.

EUA + Casas populares

Comentamos brevemente em outro artigo, a impressão de uma casa no estado do Texas, nos Estados Unidos. Feita no primeiro semestre deste ano, a construção fez parte de uma apresentação para o projeto de criação de casas populares em países em desenvolvimento.

Passado a aprovação desse plano, a construtora e startup Icon em parceria com a organização sem fins lucrativos New Story resolveram implementar esse tipo de construção em El Salvador.

A construção que deve ser reproduzida em El Savaldor segue as mesmas medidas da que foi feita nos EUA. Com 74 metros quadrados, as casas terão sala, quarto, banheiro e uma varanda em curva, que serão feitas em 24 horas. O tamanho dessas moradias se assemelha ao de apartamentos médios de cidades como São Paulo ou até mesmo Nova York.

Vale lembrar que o diferencial desse projeto é que a impressora utilizada, nomeada de Vulcan, trabalha com argamassa ao contrário das outras que utilizavam o plástico.

Holanda + Futuristas

No próximo ano está programada a impressão das cinco primeiras casas feitas pelo governo holandês, na cidade de Eindhoven, nos Países Baixos. A ideia é uma parceria entre a empresa de construção civil Van Wijnen e a Universidade de Tecnologia de Eindhoven. O principal objetivo delas será oferecer uma solução para a falta de mão de obra no país. Além de trazer recursos mais sustentáveis ao meio ambiente.

O processo de construção dessas casas será feito com um braço robótico gigante, que imprime a substância de acordo com o desenho do arquiteto e a sobrepõe, camada a camada, até criar uma parede. Apenas os acabamentos serão desenvolvidos no método tradicional.

A empresa envolvida no projeto espera que após a construção dessas cinco casas já se consiga imprimir também os tubos de saneamento e outras estruturas necessárias.

As casas construídas nos Países Baixos vão trazer um design mais futurista à arquitetura delas. Com isso, elas chamaram atenção da população local, como por exemplo, a menor entre as cinco casas, que terá dois quartos e 92 metros quadrados, e que será a primeira a ser construída, já recebeu 20 propostas. O tamanho delas irá variar, sendo assim a última será a maior e irá contar com três andares e três quartos.

Rússia + primeira do continente europeu

A Rússia foi o primeiro país europeu a disparar na corrida de impressão 3d na construção civil. Esse grande passo tecnológico teve início em 2015 onde a estrutura foi impressa e montada em um período de 30 dias. Depois disso o projeto passou por obras de instalação do telhado e foi decorado, sendo concluído em 2017.

Construída com 300 metros quadrados o projeto até então é o maior construído até agora.  Localizada na cidade de Yaroslavl a casa foi entregue a uma família que mora na região.

A impressora utilizou além de concreto outras misturas e materiais de construção. De acordo com os criadores da impressora de construção, a principal vantagem do uso de tecnologias aditivas, ou seja, criação de objetos com a tecnologia 3D- trata-se da abertura de novas possibilidades quanto à construção de casas.

Bônus: Mais economia

A parceria entre a construção civil e a impressão 3D não foi formada apenas para a criação de casas, um exemplo disso foi à construção de uma ponte na Holanda. A ideia veio de pesquisadores da Universidade de Tecnologia Eindhoven.

A ponte foi criada para servir como uma ciclovia em um parque da região, com isso, a quantidade de peso suportado por ela foi calculada para aguentar duas toneladas, o equivalente a 40 caminhões.

Com oito metros de extensão e 800 camadas de concreto a ponte levou três meses para ser construída, sendo inaugurada em outubro de 2017. A construção ela abre portas para uma linha que busca não desperdiçar materiais.

Por hoje é só! Qualquer dúvida ou sugestões para os próximos temas de publicação podem ser enviados pelo o chat aqui mesmo no site ou pelo email contato@beeprinted.com.

Brasiliense, jornalista, especialista em marketing digital e apaixonada por comunicação. Nas horas vagas gosta de escalar.

Artigos relacionados

loader-beeprinted-impressão-3D